Cobrança

Leia em 5 minutos

Boleto bancário: entenda cada campo deste documento Você conhece os campos do boleto bancário? Leia nosso post e não tenha mais dúvidas!

Por Francesca Rodrigues

O boleto bancário é uma das formas de cobranças mais utilizadas no momento, devido a sua praticidade e taxas inferiores às cobradas pelas máquinas de cartão.

Assim como todo documento, o boleto bancário tem campos obrigatórios e outros que podem ser personalizados.

Quer conhecer cada campo do boleto bancário e entender como ele funciona? Continue lendo nosso post!

Campos do boleto bancário

O boleto bancário é padronizado pela Federação Brasileira de Bancos, a FEBRABAN.

Ele é dividido em duas partes:

  • o recibo do pagador que é a parte de cima;
  • e a ficha de compensação, a parte debaixo.

Antigamente existia ainda uma terceira via, mas ela caiu em desuso.

É importante lembrar que desde o início de 2017 há um forte movimento para que os boletos sem registros sejam extintos.

Esse tipo de carteira, sem registro, era a mais utilizada por ser mais barata, mas, passava por constantes tentativas de fraudes.

Por isso, a carteira registrada passou a vigorar, onde um arquivo deve ser enviado para o banco com as informações do boleto assim que esse for emitido.

O boleto bancário com registro, divide-se em duas partes: o recibo do pagador e a ficha de compensação.

O recibo do pagador pode estar em qualquer formato, desde que contenha dados básicos como o valor, o vencimento, o beneficiário e o pagador.

É importante ressaltar que o beneficiário é aquele que recebe o pagamento e o pagador, como o próprio nome sugere, quem vai pagá-lo.

Já a ficha de compensação precisa estar em um formato mais restrito, contendo os campos obrigatórios:

Código de barras

O código de barras é utilizado para automatizar os pagamentos, com o uso do leitor óptico.

Uma curiosidade é que as barras utilizadas variam de espessura, para identificar os números de 0 a 9.

Note que as informações de juros e multas não são informadas no código de barras.

Por isso, nos casos de boletos sem registro, só era possível o pagamento de um boleto vencido no banco emissor.

Com as mudanças da carteira registrada, as informações de juros e multas são enviadas para o banco, ficando assim armazenadas em uma central chamada C.I.P..

Linha digitável

A linha digitável é a representação numérica do código de barras, porém os números não estão na mesma ordem.

Isso acontece pois a linha digitável tem diversos dígitos de verificação que são calculados utilizando os outros números.

Os três primeiros dígitos são representados pelo número do banco e os últimos o valor a ser pago.

Os outros números são determinadas por cada banco e por isso cada um tem um layout diferente.

A linha digitável serve para o pagamento por meio da Internet e também nos casos em que o código de barras está danificado.

Nosso número

Outro campo obrigatório é chamado de nosso número.

Ele é a identificação única do boleto no software emissor deste documento.

É por meio dele que é possível relacionar o boleto ao pagador e também ao emitente.

Instruções para o caixa

As instruções para o caixa é um campo que aparece no boleto, mas que não tem o preenchimento obrigatório.

Neste campo devem ser preenchidas informações para o caixa no momento do pagamento, como por exemplo as taxas de juros e multas que devem ser cobrados.

É importante que essas instruções estejam colocadas de forma clara, para não causar duplo sentido em relação às condições de pagamento e taxas de acréscimo.

Vencimento

Outro campo que consta no recibo do pagador é a data de vencimento.

Caso ele seja quitado após a data informada pelo documento, serão aplicadas as taxas de multa e juros proporcionais.

Código do banco

O código do banco corresponde ao COMPE, também conhecido como Código das Instituições Bancárias na Compensação.

Ele é formado por três dígitos mais o dígito verificador, e cada banco tem o seu próprio número.

Valor do boleto

Outro dado que deve constar no boleto é o valor que deve ser pago. Ele deve ter duas casas decimais e utilizar uma vírgula para os centavos.

Carteira

A carteira indica se o boleto é registrado ou não, ele varia conforme cada banco.

Lembrando que é importante ficar atento as datas de implantação do boleto sem registro de acordo com os valores de cada boleto.

Se quiser saber mais a respeito, leia este post.

Data do documento

A data do documento mostra qual o dia em que o boleto foi gerado ou emitido.

Beneficiário e pagador

E por último, temos as informações do beneficiário que como você já sabe é quem emitiu o boleto, podendo ser uma pessoa física ou jurídica.

E também o pagador, aquele que vai pagar o boleto. Este campo deve ser preenchido com nome completo, CPF ou CNPJ e endereço.

Para facilitar a emissão de boletos bancários, opte por sistemas de gestão, como o Fácil123, que otimizem seu trabalho reduzindo redigitações. No Fácil123 você paga apenas uma taxa única na liquidação do boleto, evitando encargos nas alterações, cancelamentos e até mesmo nos boletos não pagos.

Além disso, você conta gratuitamente com uma régua de cobrança eficaz, uma ótima aliada na redução da inadimplência.

Agende agora mesmo uma demonstração gratuita e veja como o Fácil123 pode ajudar na sua gestão.