Sistema de gestão para pequenas empresas tão fácil quanto contar de 1 até 3

Gaste menos tempo com burocracia e invista no trabalho que realmente vai fazer a sua empresa crescer

Como fazer um controle de cheques de terceiros matador

O controle de cheques de terceiros é essencial para a saúde financeira da sua empresa. Leia esse post e saiba como fazer de forma correta!

Autor: Francesca Rodrigues | Leia em 4 minutos
controle de cheques de terceiros

O cheque ainda é uma forma de cobrança muito utilizada dentro de alguns ramos de negócios.

Mas, por vezes, fazer o gerenciamento dessa modalidade de pagamento não é uma tarefa tão fácil. Dentre as tarefas para essa gestão estão o controle de cheques de terceiros.

Quer saber como fazer esse controle de forma adequada? Continue lendo nosso post!

O que é cheque de terceiro?

Antes de começar o controle de cheque de terceiros, é necessário entender o que esse termo quer dizer.

Em regra geral podemos enxergar os cheques através de duas óticas: os cheques próprios e os de terceiros.

Os cheques próprios são aqueles que eu emito.

Já os cheques de terceiro são aqueles que eu recebo de uma outra pessoa ou empresa.

Nem sempre a pessoa ou empresa me paga com seu próprio cheque.

É possível, por exemplo, receber um cheque de alguém que já recebeu de uma outra pessoa. Isso é uma operação de repasse, conforme mostra a imagem abaixo:

controle de cheques de terceiros

O inverso também é possível: invés de compensar o cheque que recebi, posso repassar para pagar alguma conta.

Em resumo: cheque de terceiro é quando você está recebendo ou repassando um cheque de uma outra pessoa ou empresa.

Qual a importância de ter um controle de cheques de terceiros?

Além de saber quais são os cheques que estão em aberto, o controle de cheques de terceiros permite que você rastreie o andamento de cada cheque, tirando assim o risco de você não receber por uma venda.

Muitas empresas não controlam quem repassou o cheque e ficam somente com as informações do emitente, aquele que assinou o documento.

O problema é que, por vezes, pode-se acontecer do cheque voltar por alguma inconsistência ou mesmo por não ter fundo. E aí tudo vira uma confusão.

Já não sabe-se mais a que conta aquele cheque pertence e sequer sabe-se quem o repassou, e assim não é possível devolver o cheque para o responsável.

No final das contas, muitas empresas acabam saindo no prejuízo por não terem essas informações de fácil acesso.
Para fugir desses inconvenientes, o ideal é que você tenha um controle de cheques de terceiros.

Como fazer um controle de cheques de terceiros?

O primeiro passo para fazer um controle de cheques de terceiro é escolher se você utilizará um sistema de gestão como o Fácil123 ou uma planilha.

O sistema de gestão traz a vantagem de integrar todas as informações, evitando redigitações e ganhando mais velocidade.

Mas, caso opte pela planilha, clique aqui para fazer o download gratuito do nosso modelo.

Registrando as informações

A primeira informação a ser registrada é de quem você recebeu aquele cheque:

Só assim é possível reivindicar um novo pagamento caso aconteça algum problema.

Feito isso, registre os dados do emissor do cheque:

Você deve registrar:

  • O nome completo do correntista;
  • Qual o banco do cheque;
  • A agência;
  • O número da conta corrente;
  • Qual a data do pré-datado;
  • O número do cheque;
  • E, por último, o valor.

Todos os dados acima você consegue facilmente na própria folha de cheque.

Com todas essas informações registradas, cabe apenas fazer a gestão do cheque.

Para isso, deve-se informar a situação do cheque e quando ele foi baixado.

As situações que um cheque pode estar são as seguintes:

  • Em aberto: O cheque em aberto é aquele que ainda está em suas mãos e não teve movimentação alguma.
  • Custódia: A custódia é um serviço de guarda de cheques oferecido pelos bancos, evitando assim roubos ou extravios. Enfim, ao invés de guardar seus cheques de terceiros no cofre, você paga o banco para tal.
  • Repassado: O cheque repassado é quando você utiliza um cheque de um cliente para um pagamento de fornecedor, por exemplo.
  • Descontado: A situação de “descontado” deve ser utilizada quando você foi até a boca do caixa e sacou ele.
  • Compensado: Já o compensado deve ser utilizado quando o cheque foi depositado na sua conta.

É importante lembrar que sempre que registrar uma movimentação do cheque é essencial registrar também a data da operação, conforme o exemplo:

Um último cuidado que deve-se ter é quanto a situação “compensado”.

Essa deve ser informada assim que você depositar o cheque, mas é necessário ficar de olho no seu extrato caso ele seja devolvido.

No final, o controle de cheques de terceiros fica da seguinte forma:

Se quiser otimizar ainda mais seus resultados, não deixe de agendar uma demonstração gratuita do Fácil123!

Leia mais